fbpx
loader

Risco de alote de girante chinesa do setor imobiliário, crise fiscal e expectativa de aumento de juros levaram Bolsa brasileira a fechar em queda de 2,33%, aos 108,8 mil pontos

O medo de um calote da gigante do setor imobiliário chinês Evergrande e potenciais efeitos na economia da China mexeram com Bolsas de Valores de todo o mundo e provocam um movimento de fuga de risco, com queda do petróleo e alta do dólar ante o real e outras divisas, nesta segunda-feira, 20.

O banco suíço Swissquote alerta para o risco de contágio para outras empresas do setor imobiliário no caso de um calote da Evergrande, que tem dívidas de mais de US$ 300 bilhões e viu suas ações caírem para o menor nível em 11 anos. Segundo a instituição, a companhia “deve entrar em default (calote) nesta semana e analistas têm advertido” para o potencial disso “sacudir os mercados financeiros”.

A Capital Economics diz, em relatório enviado a clientes, que as repercussões do “caso Evergrande” para o resto do mundo estão crescendo, mas avalia que a turbulência ainda não chegou à escala de “sustos” anteriores na China, como a guerra comercial com os Estados Unidos em 2018 e 2019 ou a desaceleração da economia do país asiático em 2015 e 2016.

Ibovespa fechou o dia em queda de 2,33%, aos 108.844 pontos. O S&P 500 perdeu 1,70%, aos 4.358 pontos. O dólar fechou o dia em alta de 0,87%, cotado a R$ 5,33. O euro também subiu 0,87%, a R$ 6,26.

Calote da Evergrande abala mercado global e Ibovespa despenca
Na mínima do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo chegou aos 107.520,14 pontos. Já na abertura do mercado, o índice perdeu os 109 mil pontos – nível visto pela última vez no início de março.

“O mercado está cauteloso, se preparando para o pior. Se não acontecer nada, melhor”, avalia o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria.

Segundo ele, a reação dos mercados é porque os investidores sentem que podem ter algum contágio tanto por meio do setor financeiro quanto por parte da dívida com estrangeiros, num momento em que a China dá sinais de desaceleração, com queda de commodities, o que afeta países como o Brasil.

Gigante chinesa avisa credores sobre calote
A Evergrande já avisou credores que não conseguirá cumprir os pagamentos de juros da dívida com vencimento nesta segunda.

“O mercado de crédito da China é muito ligado ao imobiliário, e a situação da maior construtora local poderia causar um temor ainda maior, contaminando outros setores como o financeiro”, escreve em nota Julia Aquino, especialista em investimentos da Rico Investimentos. Além disso, a China, a maior importadora de minério do mundo, segue impondo restrições à produção de aço no país, acrescenta.

Apesar dos temores, a agência classificadora de risco S&P Global Ratings afirma que um eventual calote da Evergrande não gerará uma onda de falências nem terá repercussões leves, mas gerará uma situação intermediária.

Além da cautela com as questões relacionadas à China, o mercado também espera pela reunião de política monetária dos Estados Unidos, na próxima quarta-feira, 22. Em meio a dados com resultados mistos no país, a grande dúvida de investidores é quanto a uma indicação sobre a retirada dos estímulos à economia, o chamado tapering.

A Visão Investimentos - Agente Autônomo de Investimentos Ltda está devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na forma da Instrução Normativa nº497/11, e é credenciada junto à Safra Corretora de Valores e Câmbio Ltda., o que pode ser verificado no site da CVM (www.cvm.gov.br) ou no site da ANCORD (http://www.ancord.org.br) ou no site da Safra Corretora - www.safra.com.br/agentesautonomoscredenciados. A marca SAFRA INVEST é de propriedade e objeto de direitos exclusivos de empresas das Organizações Safra, das quais faz parte a Safra Corretora de Valores e Cambio Ltda. O Agente Autônomo é um intermediário e depende de ordem prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro e de capitais. Esta mensagem tem conteúdo meramente informativo. As informações ora prestadas são de caráter geral e exemplificativo, estando sujeitas a alterações, condições adicionais e negociação específica para cada investimento realizado, não se configurando ou devendo ser entendida como oferta pública ou privada, relatório de análise ou consultoria de valores mobiliários tais como definidos na legislação e regulamentação em vigor. As informações expressas neste documento foram obtidas de fontes públicas consideradas seguras, porém não é garantida a sua precisão ou completude, não devendo ser consideradas como tal. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos. A decisão pelo tipo e perfil de investimento é de responsabilidade exclusiva do cliente, razão pela qual se recomenda fortemente que o investidor faça uma avaliação independente sobre as operações pretendidas, riscos, condições e tributação aplicável. Quaisquer referências e rentabilidades passadas não significam de qualquer forma a garantia ou previsibilidade de rentabilidades futuras. O Grupo Safra não será responsável por perdas diretas, indiretas ou lucros cessantes decorrentes da utilização deste material para quaisquer finalidades. A presente publicação e todos seus elementos literais e gráficos constituem uma obra autoral protegida, estando os diretos sobre a mesma reservados.