fbpx
loader

Economia dos EUA emerge forte da pandemia, enquanto recuperação da Europa é afetada pela guerra Ucrânia e combate à covid na China

Empresas europeias estão intensificando os investimentos nos Estados Unidos, em busca de crescimento e estabilidade em meio à turbulência causada pela guerra na Ucrânia e pelos rígidos lockdowns na China para evitar a disseminação da covid-19.

A economia dos EUA emergiu forte da pandemia, enquanto as perspectivas de recuperação da Europa foram postas em dúvida pela guerra na Ucrânia. Além disso, a rigorosa política de ‘covid zero’ na China e as repressões regulatórias contra empresas de tecnologia e problemas de dívida em grandes empresas imobiliárias levantaram questões sobre o compromisso chinês com o crescimento econômico.

A exposição ao mercado chinês proporcionou um enorme crescimento e lucros para as empresas europeias nas últimas décadas. Poucos executivos europeus estão considerando uma retirada total da China, mas à medida que sua economia perde força, as empresas estão repensando suas estratégias de investimento. Para muitos, os EUA estão se tornando um local mais atraente por causa de sua relativa estabilidade e crescimento.

Empresas trocam investimentos na China pelos Estados Unidos
“A América é nossa chance de um forte crescimento estratégico”, disse o presidente-executivo da Volkswagen, Herbert Diess, a repórteres na quarta-feira, dizendo que a maior montadora da Europa dobrará o tamanho de sua fábrica em Chattanooga, Tennessee, e planeja construir uma segunda fábrica para atender aos EUA.

Alexander Lacik, CEO da Pandora, disse aos investidores na quarta-feira que nos últimos meses a joalheria dinamarquesa adquiriu 32 lojas nos EUA, principalmente na Costa Oeste, e suspendeu seus planos de expandir suas operações na China. A empresa opera mais de 200 lojas na China. “Com as condições atuais, realmente não há sentido em investir demais na China. Então, agora é mais como se estivéssemos guardando o forte e teremos que sentar e esperar um pouco”, disse ele.

A atitude de esperar para ver em relação à China é generalizada entre os executivos europeus, de acordo com uma pesquisa da Câmara de Comércio da União Europeia na China e da consultoria Roland Berger em abril. Quase um quarto dos entrevistados disse que estava pensando em transferir os investimentos atuais ou planejados para fora da China, mesmo que isso significasse custos operacionais mais altos. “Um mercado mais caro e funcional é melhor do que um relativamente mais barato, mas paralisado”, disse o presidente da câmara, Jörg Wuttke.

A Visão Investimentos - Agente Autônomo de Investimentos Ltda está devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na forma da Instrução Normativa nº497/11, e é credenciada junto à Safra Corretora de Valores e Câmbio Ltda., o que pode ser verificado no site da CVM (www.cvm.gov.br) ou no site da ANCORD (http://www.ancord.org.br) ou no site da Safra Corretora - www.safra.com.br/agentesautonomoscredenciados. A marca SAFRA INVEST é de propriedade e objeto de direitos exclusivos de empresas das Organizações Safra, das quais faz parte a Safra Corretora de Valores e Cambio Ltda. O Agente Autônomo é um intermediário e depende de ordem prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro e de capitais. Esta mensagem tem conteúdo meramente informativo. As informações ora prestadas são de caráter geral e exemplificativo, estando sujeitas a alterações, condições adicionais e negociação específica para cada investimento realizado, não se configurando ou devendo ser entendida como oferta pública ou privada, relatório de análise ou consultoria de valores mobiliários tais como definidos na legislação e regulamentação em vigor. As informações expressas neste documento foram obtidas de fontes públicas consideradas seguras, porém não é garantida a sua precisão ou completude, não devendo ser consideradas como tal. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos. A decisão pelo tipo e perfil de investimento é de responsabilidade exclusiva do cliente, razão pela qual se recomenda fortemente que o investidor faça uma avaliação independente sobre as operações pretendidas, riscos, condições e tributação aplicável. Quaisquer referências e rentabilidades passadas não significam de qualquer forma a garantia ou previsibilidade de rentabilidades futuras. O Grupo Safra não será responsável por perdas diretas, indiretas ou lucros cessantes decorrentes da utilização deste material para quaisquer finalidades. A presente publicação e todos seus elementos literais e gráficos constituem uma obra autoral protegida, estando os diretos sobre a mesma reservados.