fbpx
loader

Impostos são os vilões da telefonia no Brasil, fator que ajuda a explicar a péssima colocação do país no ranking das telecomunicações

O crescimento do mercado de telecomunicações no Brasil, com maior competição entre as operadoras, ajudou a reduzir o preço médio dos serviços de celular e banda larga fixa nos últimos anos.

Por outro lado, o País continua tendo uma das maiores cargas tributárias do mundo, o que acaba atrasando a ampliação das redes para as regiões mais remotas.

O ICMS é o maior vilão das tarifas do setor de telecomunicações. Na telefonia celular, o imposto estadual oscila de 38% em São Paulo, por exemplo, até 52% no Rio de Janeiro.

Essas algumas das principais conclusões de um estudo realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a partir de dados da União Internacional de Telecomunicações (UIT) e divulgado nesta segunda-feira, 22.

Brasil melhorou, mas é o 63º no ranking
O levantamento mostra que o Brasil melhorou, relativamente, sua posição no ranking da cesta de serviços de telefonia móvel, passando da 83ª posição em 2018 para a 63ª em 2019.

O preço médio de um plano de celular chegou a US$ 22,23, ou R$ 122,7 (considerando a paridade do poder de compra, ou PPC, que mostra quanto a moeda é realmente capaz de comprar em cada país). Dez anos antes, um plano de padrão similar custava US$ 67,44, ou R$ 372 pelo câmbio atual.

O Brasil é o sexto maior mercado de celulares do mundo, com 202 milhões de linhas telefônicas móveis. O maior é a China, com 1,7 bilhão.

Já no caso da banda larga fixa, o Brasil evoluiu da 75ª para a 45ª posição. Nesse período, o preço médio foi a US$ 17,74, ou R$ 98. O País é tem 32,9 milhões de acesso, o quinto maior mercado global. O maior aqui também é a China, com 450 milhões.

O relatório da Anatel mostrou também que a carga tributária média de telecomunicações no Brasil aumentou 0,4% de 2019 para 2020, chegando a 43,6%, na média. Esse é patamar mais elevado entre as economias do G20, o grupo das 20 maiores economia do mundo.

5ª maior carga tributária do mundo
Em telefonia móvel, o Brasil está no grupo dos 5% de países com maior carga tributária. Em banda larga fixa o Brasil tem a maior tarifação de todo o ranking.

No estudo, a Anatel observou que o aumento da carta tributária se deveu a dois fatores. O primeiro deles foi o aumento do ICMS médio nacional em 0,22% devido aumento de alíquota estadual ao longo do último ano. O segundo ponto foi a nova ponderação dos Estados em função de alteração da quantidade de acessos.

O presidente da Anatel, Leonardo de Moraes, viu com pesar os dados que colocam o País entre os que mais cobram impostos das teles. Com a pandemia, ficou ainda mais evidente a importância das telecomunicações para embasar as atividades de vários setores, ponderou.

“Até que ponto a carga tributária aplicada aos serviços de telecomunicações será assemelhada àquela aplicada a bens demeritórios?”, questionou Moraes.

“As soluções digitais têm sido impulsionadas à medida que se revelam eficazes para endereçar os mais variados desafios que a crise nos impõe. O isolamento tem ensinado que custos de transação podem ser significativamente reduzidos e ganhos de produtividade alcançados a partir do uso mais intensivo dos mecanismos digitais”, destacou.

Moraes defendeu ainda que recursos como os do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) sejam utilizados para o propósito de origem, que é, de fato, levar a infraestrutura digital para regiões ainda não cobertas. (AE)

fonte: – https://oespecialista.com.br/icms-telefone-celular/

A Visão Investimentos - Agente Autônomo de Investimentos Ltda está devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na forma da Instrução Normativa nº497/11, e é credenciada junto à Safra Corretora de Valores e Câmbio Ltda., o que pode ser verificado no site da CVM (www.cvm.gov.br) ou no site da ANCORD (http://www.ancord.org.br) ou no site da Safra Corretora - www.safra.com.br/agentesautonomoscredenciados. A marca SAFRA INVEST é de propriedade e objeto de direitos exclusivos de empresas das Organizações Safra, das quais faz parte a Safra Corretora de Valores e Cambio Ltda. O Agente Autônomo é um intermediário e depende de ordem prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro e de capitais. Esta mensagem tem conteúdo meramente informativo. As informações ora prestadas são de caráter geral e exemplificativo, estando sujeitas a alterações, condições adicionais e negociação específica para cada investimento realizado, não se configurando ou devendo ser entendida como oferta pública ou privada, relatório de análise ou consultoria de valores mobiliários tais como definidos na legislação e regulamentação em vigor. As informações expressas neste documento foram obtidas de fontes públicas consideradas seguras, porém não é garantida a sua precisão ou completude, não devendo ser consideradas como tal. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos. A decisão pelo tipo e perfil de investimento é de responsabilidade exclusiva do cliente, razão pela qual se recomenda fortemente que o investidor faça uma avaliação independente sobre as operações pretendidas, riscos, condições e tributação aplicável. Quaisquer referências e rentabilidades passadas não significam de qualquer forma a garantia ou previsibilidade de rentabilidades futuras. O Grupo Safra não será responsável por perdas diretas, indiretas ou lucros cessantes decorrentes da utilização deste material para quaisquer finalidades. A presente publicação e todos seus elementos literais e gráficos constituem uma obra autoral protegida, estando os diretos sobre a mesma reservados.