fbpx
loader

Com alta de 1,8% em abril em relação a março, e de 23,8% sobre o abril do ano passado, setor varejista recupera perdas da crise da covid

A alta de 1,8% nas vendas do comércio varejista em abril ante março foi a mais acentuada para este período do ano dentro da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em 2000, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com abril de 2020, o varejo também registrou um avanço recorde de 23,8%. O varejo ampliado também teve o maior aumento de vendas da série, com alta de 41,0%.

“Em relação a abril de 2020 a gente vai ter patamar mais pronunciado (de alta nas vendas) por causa da base de comparação baixa”, ponderou Cristiano Santos, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio no IBGE.

Varejo recupera perdas da pandemia
A melhora no desempenho do varejo na passagem de março para abril fez o volume de vendas ficar 1,0% acima do nível de fevereiro de 2020, no pré-pandemia. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, as vendas operam 0,3% acima do pré-pandemia.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio e foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os segmentos de material de construção, artigos farmacêuticos, outros artigos de uso pessoal e doméstico, supermercados e móveis e eletrodomésticos estão operando acima do patamar pré-crise sanitária.

Crescimento de 20% nos materiais de construção
O segmento de material de construção está 19,9% acima do patamar de fevereiro de 2020; artigos farmacêuticos, 13,4% acima; outros artigos de uso pessoal e domésticos, 5,8% acima; supermercados, 2,2% acima; e móveis e eletrodomésticos, 1,4% acima.

Os veículos estão 5,4% abaixo do patamar pré-pandemia; vestuário, 19,4% abaixo; livros e papelaria, 40,6% abaixo; combustíveis, 9,3% abaixo; e equipamentos de informática, 8,7% abaixo.

Após um avanço de 1,8% no volume vendido em abril ante março, o varejo opera 5,1% abaixo do pico de vendas alcançado em outubro de 2020.

Já o varejo ampliado, que cresceu 3,8% em abril ante março, está em nível 6,1% aquém do ápice registrado em agosto de 2012.

Destaques da pesquisa IBGE
Sete das oito atividades que integram o varejo registraram avanços em abril de 2021 ante abril de 2020. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na média global, o comércio varejista teve alta recorde de 23,8%, impulsionado pela base de comparação baixa, já que a economia sob forte impacto da crise sanitária nessa mesma época do ano passado.

Houve avanços nos setores de móveis e eletrodomésticos (71,3%); artigos farmacêuticos (34,1%); equipamentos para informática e comunicação (47,1%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (104,4%); combustíveis e lubrificantes (19,9%); tecidos, vestuário e calçados (301,2%) e livros e papelaria (95,9%).

A única atividade com perdas foi a de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: -1,7%. No varejo ampliado, que inclui os segmentos de veículos e material de construção, as vendas subiram 41,0%. O segmento de veículos cresceu 132,1%, enquanto material de construção aumentou 44,4%. (AE)

A Visão Investimentos - Agente Autônomo de Investimentos Ltda está devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na forma da Instrução Normativa nº497/11, e é credenciada junto à Safra Corretora de Valores e Câmbio Ltda., o que pode ser verificado no site da CVM (www.cvm.gov.br) ou no site da ANCORD (http://www.ancord.org.br) ou no site da Safra Corretora - www.safra.com.br/agentesautonomoscredenciados. A marca SAFRA INVEST é de propriedade e objeto de direitos exclusivos de empresas das Organizações Safra, das quais faz parte a Safra Corretora de Valores e Cambio Ltda. O Agente Autônomo é um intermediário e depende de ordem prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro e de capitais. Esta mensagem tem conteúdo meramente informativo. As informações ora prestadas são de caráter geral e exemplificativo, estando sujeitas a alterações, condições adicionais e negociação específica para cada investimento realizado, não se configurando ou devendo ser entendida como oferta pública ou privada, relatório de análise ou consultoria de valores mobiliários tais como definidos na legislação e regulamentação em vigor. As informações expressas neste documento foram obtidas de fontes públicas consideradas seguras, porém não é garantida a sua precisão ou completude, não devendo ser consideradas como tal. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos. A decisão pelo tipo e perfil de investimento é de responsabilidade exclusiva do cliente, razão pela qual se recomenda fortemente que o investidor faça uma avaliação independente sobre as operações pretendidas, riscos, condições e tributação aplicável. Quaisquer referências e rentabilidades passadas não significam de qualquer forma a garantia ou previsibilidade de rentabilidades futuras. O Grupo Safra não será responsável por perdas diretas, indiretas ou lucros cessantes decorrentes da utilização deste material para quaisquer finalidades. A presente publicação e todos seus elementos literais e gráficos constituem uma obra autoral protegida, estando os diretos sobre a mesma reservados.